segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

ANEMIA X BAIXA VISÃO

ANEMIA FALCIFORME E COMPLICAÇÕES OCULARES

A Doença Falciforme pode causar complicações oftalmológicas que acarretam em comprometimento da visão. A não ser que o exame oftalmológico inclua uma completa avaliação da retina posterior e periférica com dilatação da pupila, estas complicações podem passar despercebidas, logo no início do quadro.

A retinopatia proliferativa pode levar à hemorragia vítrea e descolamento de retina. A fotocoagulação por laser pode beneficiar muitos pacientes com retinopatia proliferativa. Se uma percentagem de pacientes que desenvolvem trações retinianas fibróticas forem encaminhado à oftalmologia e receberem tratamento apropriado podem ter uma cegueira evitada.

Uma vez diagnosticado um deslocamento ou uma hemorragia vítrea, a intervenção cirúrgica geralmente é útil para a recuperação da visão.

Recomenda-se que os pacientes com retinopatia de Doença Falciforme tenha um check up oftalmológico, incluindo oftalmoscopia indireta, de 6/6 meses. Estes exames devem ser iniciados na infância.

Os pacientes com retinopatia moderada e grave devem ser submetidos à angiografia pós fluoresceína e ser seguidos pelo especialista. O mesmo deve ser feito para os casos de alteração súbita na acuidade visual ou quando houver traumatismo ocular. Um traumatismo geralmente está associado com aumento da pressão intraocular e os pacientes com Doença Falciforme mesmo com uma leve elevação desta pressão podem ter como resultado final a perda permanente da visão.

RETINOPATIA NÃO PROLIFERATIVA

Embora as oclusões vasculares de retina sejam geralmente observadas na infância, a neovascularização retiniana geralmente ocorre na 2ª e 3ª décadas da vida. A neovascularização retiniana é mais comum na hemoglobinopatia C, mas também é vista na Anemia Falciforme e Sb Talassemia.

A evolução da neovascularização é afetada pela idade do paciente como dito acima e pelo tipo de hemoglobinopatia. Há um aumento da prevalência nos pacientes com hemoglobinopatia SC e com o avançar da idade. É desconhecido o motivo pelo qual a neovascularização progride rapidamente em alguns pacientes e em outros está ausente. Uma vez detectada a sua presença, os fatores de risco para a hemorragia estão na dependência da quantidade de neovascularização e da presença de Hb SC.

Uma retinopatia não tratada pode ter como conseqüência uma cegueira devida a uma hemorragia vítrea ou descolamento de retina. A fotocoagulação com laser geralmente é eficaz para a erradicação da retinopatia proliferativa.

HEMORRAGIA VITREA E DESCOLAMENTO DE RETINA

A retinopatia proliferativa causa hemorragia vítrea. A degeneração e fibrose secundárias à hemorragia vítrea podem levar ao descolamento por tração da retina. Estas são as causas mais comuns de cegueira na Anemia Falciforme.

No caso de se diagnosticar uma hemorragia vítrea que não involua no prazo de 3 a 6 meses ou se houver um descolamento retiniano normalmente o oftalmologista indicará cirurgia. A eritracitaferese é recomendada para todos os pacientes com Doença Falciforme que serão submetidos à uma cirurgia oftalmológica para se evitar possíveis complicações no pós operatório como hifema e necrose isquemica da câmara anterior do olho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário